segunda-feira, 25 de março de 2013

Mistura Fina: a jóia do Alto dos Passos



 
Quem chega ao Bar e Restaurante Mistura Fina, em um primeiro momento pode se confundir. Os clientes mais antigos – alguns nem tanto - se revezam ao evocar o dono do bar:

- Ô, Enderson, traz mais uma Brahma aqui!
- Ô, Kaká, traz mais um torresmo!

Esse mistério eu nunca preocupei em entender. Se o dono do buteco se chama Enderson e de onde deriva o Kaká, pouco importa. Importa que essa pequena jóia incrustada na parte mais escura do Alto dos Passos é um dos melhores butecos de nossa Juiz de Fora.

Eu diria até que o Mistura Fina nos permite contestar a visão que o ilustre Pedro Nava tinha da região, retratada em seu Baú de Ossos. Esse bar transfere ao Alto dos Passos o subversivo e alegre espírito de uma Juiz de Fora que só existe do largo do Riachuelo para lá.

O Mistura se destaca pela capacidade de abrigar pessoas das mais variadas faixas etária e grupos sociais. Espaço clássico de boemia, ponto de encontro de boa parte dos músicos da cidade, seu horário elástico de funcionamento o torna sempre uma opção. A boa vontade de seu proprietário em abrigar as pessoas, refazendo a logística das mesas, improvisando-as na calçada, torna ainda mais prazeroso chegar por lá sem se programar.

Como já havia dito aqui em outros textos, a alma de buteco que se preze é sua estufa. A cozinha do Mistura é indiscutivelmente uma extensão de uma casa de vó. Tempero apurado, ingredientes bem selecionados e respeito às melhores tradições ao qual um buteco está arraigado. Um dos poucos lugares onde você ainda pode encontrar uma boa língua de boi com batatas além da moela com molho e uma maçã de peito espetacular.  A estufa traz também espetaculares almôndegas servidas no molho acompanhadas de pão, uma opção para quem prefere um petisco mais ameno. E buteco bom tem pastel e empada. Os do Mistura são espetaculares.

A estufa sagrada do Mistura
No detalhe da foto: Kaká mete a faca no parmesão

Para além dessa espetacular estufa, você pode contar com um cardápio que oferece petiscos variados, além de sanduíches e comidas mais reforçadas.

Cerveja sempre trincando de gelada, nas variadas possibilidades: Brahma e o resto (é o que mais importa). Mas para as goelas mais atiçadas fica a sugestão: a cachaça do barril, especialidade da casa. Nada melhor para degustar os quitutes que a casa oferece.

Não é preciso nem lembrar que a cachaça é peça-chave para o torresmo. E cá entre nós, o torresmo do Mistura Fina em suas duas versões, pururuca ou barriga, é um dos melhores da cidade, quiçá o melhor.

Não é difícil chegar ao Mistura e encontrar uma reunião de sambistas, o que torna a noite ainda mais agradável. Obviamente tudo no clima da camaradagem e improviso, coisas que referendam a alma do bom buteco.



Durante a semana o Mistura abre para almoço e oferece um dos melhores PFs da cidade, prezando pela comida caseira em sua essência. Um dos poucos lugares onde você pode comer uma baroa, um inhame, couve e outros legumes e verduras tradicionais do dia a dia da cozinha mineira.

Aos sábados serve-se uma feijoada espetacular, daquelas que Vinicius de Moraes descrevia como só permitida de ser saboreada trancado no escuro, pensando no máximo na mulher amada.

E sem me entender  mais, amigos e amigas, o Mistura é isso, um buteco completo. Quem nunca foi, vá. Ajude a manter a acesa a chama da melhor tradição de butecos em nossa cidade.




O Mistura Fina fica na Rua Moraes e Castro 26- Alto dos Passos.

2 comentários:

  1. Grande Mistura. Sem dúvida o melhor buteco da cidade!

    ResponderExcluir
  2. "O texto desceu redondo!" Eu não queria mas não pude escapar ao trocadilho, camarada!

    Bela peça!

    ResponderExcluir