terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Com vocês, Cold Bar.


Na contramão dos botecos raiz, famosos, conceituados e blá, blá existe o Cold Bar.

Amigos, o Cold Bar não deve ter nem dois anos de existência e sua casa, bem espaçosa, porém de um calor senegalês – embora, eu confesso, nunca tenha ido ao Senegal - antes abrigava o Joker bar, para uns o saudoso, para mim, indiferente.

Américo, feliz proprietário da casa, pode se gabar de uma clientela seleta e diversificada, são senhores moradores da Rua São Mateus, pertinho do antigo Salamaleque, hoje algo do gênero, perdidos, do bairro São Mateus, amantes de futebol, como eu, do bairro São Mateus e jovens de preto. De eles vêm eu não sei, mas creio caso sejam do bairro São Mateus não andam de coturno, maquiagem e cabelos espetados, talvez só saiam quando o movimento black rock acontece, vai saber.

Eu sei, já expressei toda a minha afetividade em bares que passam o glorioso e foi no Cold Bar que encontrei meu refúgio silencioso. Os senhores, aqui já citados, provenientes da rua e do bairro todos se estabelecem durante as partidas, carinhosamente chamados pelo nome do time. Eu, por exemplo, sou o botafoguense, (jura?), ainda sobram flamenguistas, tricolores e até extintos vascaínos de idade avançada. Comentam-se os jogos, relembram jogos e são dotados de uma memória ímpar.

Outro ponto divertido é a fácil e contínua acessibilidade a minha cerveja predileta: Heineken, poucas as vezes que lá não contava com a garrafa verde e seu precioso sabor. Com o tempo você tem-se a liberdade de abrir o freezer, pegar uma gelada e gritar ao Américo: “peguei mais uma!”. O torresmo e o feijão amigo, fazem parte de um extenso cardápio que vem acompanhado de uma nota interessante: “Couvert R$3,00 ou negociável”. Aí minha imaginação entra em um estágio inevitável de montar debates com o proprietário sobre o desconto: “Não faz por R$1,50? Quando eu cheguei o som estava na metade”. Ainda não pude ver tal debate, mas pretendo até interceder caso haja.

Foto: Revista Pauta Econômica

Futebol, impessoalidade amistosa, cardápio vasto, couvert negociável, tudo isso o Cold Bar tem a oferecer aos felizes moradores de São mateus e entorno. Vos digo, por experiência, levei amigos que de primeira torceram o nariz para bar e depois ficaram maravilhados pelo atendimento, cardápio e toda ladainha que já citei. Essa semana tem jogo, você pode me encontrar lá!

5 comentários:

  1. Taí a interação dono-freguês que todo boteco necessita!

    ResponderExcluir
  2. Gostei, hein? Vou dar uma passada pra conhecer :).

    ResponderExcluir
  3. Matheus Monteiro ( MENOR )26 de janeiro de 2012 11:09

    Bar perfeito. depois de 3 cervejas se voce quiser pode ate ir la cozinha preparar a sua propria carne.
    Dia de jogo é uma festa enche de SÃO PAULINOS para animar ainda mais o bar .. e direto e reto rola um churrasco para todos frequentadores.

    américo peguei mais uma !!!!

    ResponderExcluir